vidros
vidros

Sistema Orion é motivo de homenagem para a Polícia Militar

publicado em 25/06/2019
compartilhe:

Foto: João Paulo Barbosa

Presidente Prudente possui a média do índice de crimes violentos cerca de dez vezes mais baixa que a do estado. Dado vinculado à atuação das polícias e com notoriedade a Polícia Militar que construiu na região uma plataforma digital denominada Sistema Orion e que proporciona múltiplos benefícios, entre os quais a prevenção. Ferramenta desenvolvida por militares do 18º Batalhão em 2015 e aprimorada ao longo dos últimos cinco anos, envolvendo parceiros, incluindo a Unoeste. Mais recentemente vem sendo implantada em outras unidades e já é utilizada em 93 dos 135 batalhões paulistas. Há a perspectiva de uso do Sistema Orion no Brasil. Fatos que motivaram homenagem prestada pela Câmara Municipal de Vereadores de Presidente Prudente, nesta segunda-feira (24) quando a sessão ordinária foi interrompida e instalada uma sessão informal de duas horas, das 20h30 às 22h30, para entregas de certificados de honra ao mérito aos policiais criadores da ferramenta. Também foi entregue uma placa para as duas unidades da Polícia Militar instaladas na cidade: o 18º Batalhão que abrange 21 municípios e o Comando de Policiamento do Interior (CPI-8) cuja abrangência é de 67 municípios, incluindo ainda os batalhões de Dracena (25º), Assis (32º) e Presidente Venceslau (42º). A prestigiada cerimônia contou com as presenças dos comandantes de todos os batalhões e pelo CPI-8 compareceram o atual comandante coronel Adilson Luís Franco Nassaro e o ex-comandante coronel Silvio César de Almeida Saraiva, em cuja gestão ocorreu a construção da plataforma digital que abriga a Rede de Proteção ao Cidadão. A rede envolve vários órgãos públicos e entidades da sociedade civil, de tal forma que os boletins sociais, elaborados pelos policiais em atendimentos a ocorrências que não são policiais, proporcionam encaminhamentos específicos de problemas que requerem soluções de diferentes naturezas, como são os de assistência social, por exemplo. Na área do 18º Batalhão são 754 usuários de 183 instituições parceiras, entre órgãos públicos e a sociedade civil organizada que na homenagem esteve representada pela professora Paulina Paulino, agraciada com uma placa entregue pelas vereadoras Alba Lucena Fernandes Gandia e Elza Alves Pereira e Pereira (Elza do Gás). A iniciativa da homenagem foi do vereador Demerson Dias (Demerson da Saúde), atual presidente da Câmara e sargento da reserva do Exército Brasileiro, compartilhada pelo vereador Mauro Marques das Neves, tenente da reserva da Polícia Militar do Estado de São Paulo. A propositura obteve aprovação unânime dos 13 vereadores. Neves foi o primeiro a falar em uma sequência de pronunciamentos na tribuna, todos enaltecendo a Polícia Militar, através do 18º Batalhão e do CPI-8, e o Sistema Orion. “A Polícia Militar e a Polícia Civil fazem com que a nossa região seja a mais segura do estado de São Paulo”, destacou Neves. O 1º tenente Anderson Garrido Scaioni falou em nome da equipe que desenvolveu o sistema e o apresentou como ferramenta computacional de proteção à sociedade e prevenção criminal, tendo os policiais militares como os principais catalizadores de informações qualificadas, presentes 24h nas rotinas das cidades. Pela Unoeste a fala foi do pró-reitor de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão, Dr. Adilson Eduardo Guelfi, que pontuou duas ações importantes do sistema: inteligência e gestão. Comentou sobre as parcerias da universidade com a Polícia Militar, sendo que neste caso específico contribuiu em desenvolvimento e comunicação. Na questão do desenvolvimento está o aplicativo construído junto à Faculdade de Informática de Presidente Prudente (Fipp), que na sessão esteve representada pelo diretor Moacir Del Trejo e pelo professor André Augusto Menegassi. Na comunicação foi a Facopp, a contribuição se deu pelo curso de Publicidade e Propaganda. O coronel Saraiva disse que a ideia de criação do Sistema Orion era deixar a ação policial mais eficiente e eficaz possível, o que se tornou realidade e se transformou em programa institucional com a previsão de ser adotado em todos os estados brasileiros, inclusive pelo baixo custo de instalação e funcionamento. O coronel Franco destacou Prudente como ilha de excelência em segurança pública, no mar de violência em que o país se encontra. Para ele o futuro da humanidade é o trabalho colaborativo em rede, o qual será ainda mais dinâmico e eficiente no futuro com o uso da inteligência artificial, embora a sensibilidade humana seja imprescindível.

Fonte: Assessoria de Imprensa Unoeste - Fones: (18) 3229-1185 ou 1090 - imprensa@unoeste.br
<< voltar para a lista de notícias